De janeiro a outubro deste ano a Cetrel registrou 38 acidentes; maioria provocada por imprudência

Registro do acidente ocorrido em 22 de setembro, que deixou quatro pessoas mortas.

Cerca de 1,35 milhão de pessoas morrem a cada ano em decorrência de acidentes no trânsito, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). As vítimas mais recorrentes, de acordo com a entidade, são os homens – cerca de 73% de todas as mortes no trânsito ocorrem entre jovens do sexo masculino, com menos de 25 anos.

No Brasil, levantamento do Ministério da Saúde revela que dos 35,3 mil mortos no trânsito em 2017, 82% eram homens. Sendo que cerca de 37% tinham entre 20 e 39 anos.

Com este cenário, o relatório Global Status Report on Road Safety, da OMS, revela que o país ocupa a terceira posição quando o assunto é número de mortes no trânsito. Atrás apenas da Índia e China.

Se falarmos de Bahia, entre 2009 e 2018 foram registradas 24.479 mortes em acidentes, conforme a Secretaria de Saúde do Estado (Sesab). Ainda, de acordo com a pasta, até outubro deste ano foram registrados 1.481 óbitos causados por acidentes de trânsito. O resultado, é que 40% das internações hospitalares em território baiano são por causa de acidentes, na maioria das vezes envolvendo motocicletas. A Sesab aponta que segundo os dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinam), 75,1% das vítimas eram homens e 57,1% deles tinham entre 20 e 39 anos.

Camaçari figura entre esses dados e a Via Atlântica (BA-530), conhecida como Estrada da Cetrel, registrou graves acidentes este ano. Reformada em 2017, com duplicação de 2,8 quilômetros, a rodovia recebe, diariamente, uma média de 2.280 veículos. Essa é uma importante via de ligação entre sede e orla do município.

A Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra) revela que de 1° de janeiro até 31 de outubro de 2019 foram registrados 38 acidentes, sendo seis fatais. Entre eles estão o do dia 22 de setembro, em que veículos de passeio pegaram fogo ao baterem de frente, ocasionando a morte de quatro pessoas; outro em 20 de outubro, quando um homem morreu e duas pessoas ficaram feridas; e o de 22 de outubro, que deixou uma vítima fatal.

Dados estatísticos

Segundo a Seinfra, de janeiro de 2018 até outubro deste ano, 87,5% dos acidentes com vítimas fatais tiveram como causa a imprudência, entre elas a falta de atenção e o excesso de velocidade.

Os números são maiores quando comparados ao ano passado. Já que de 1° de janeiro a 31 de outubro de 2018 foram registrados 34 acidentes, com dois fatais.

A Seinfra diz que ações são feitas, com o intuito de reduzir o número de acidentes e vítimas nas rodovias baianas em parceria com a Polícia Rodoviária Estadual. A exemplo blitzes de alcoolemia, controle sobre o uso da faixa de domínio e o Programa “Crescendo no Trânsito”, que ensina as normas de convivência no trânsito para estudantes de escolas públicas e particulares do estado.

Para os motoristas as dicas são atenção enquanto estiver dirigindo ou pilotando, respeitar o limite de velocidade da via e regras de ultrapassagem, utilizar do cinto de segurança e não usar o celular nem beber enquanto estiver dirigindo.

CRUSH