Rui Costa, Elinaldo e outros prefeitos de cidades atingidas pela mancha de óleo se reúnem hoje

A reunião foi convocada pelo governo do Estado. Foto: Divulgação

As manchas de óleo atingiram praias de oito municípios baianos e para achar soluções para diminuir os impactos da substância nos ecossistemas locais, o governador Rui Costa (PT), o prefeito Elinaldo Araújo (DEM) e gestores de outras sete cidades ser reunirão hoje (17), às 15h, na sede da Governadoria.

Além de Camaçari, o petróleo afetou praias de Salvador, Lauro de Freitas, Mata de São João, Conde, Entre Rios, Jandaíra e Esplanada. “Para gente aprimorar essa ação de unificação contra o oléo nas praias junto aos municípios”, explicou Rui Costa durante o programa Papo Correria.

Junto com os prefeitos e governador, participam da reunião também órgãos estaduais envolvidos nesta ação: Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Secretaria do Meio Ambiente, Inema, Procuradoria Geral do Estado, Casa Civil, Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Secretaria de Infraestrutura.

Segundo o governador, também já foi protocolado pedido para que a Procuradoria-Geral do Estado (PGE-BA) se junte aos Ministérios Públicos Estadual (MP-BA) e Federal (MPF) na ação civil pública contra a União e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) em decorrência das consequências e riscos ambientais provenientes do vazamento de óleo que alcançou a costa brasileira, atingindo todos estados do Nordeste.

“A PGE estará ingressando como terceiro interessado na ação já feita pelo MPF contra a União, porque é responsabilidade da União evitar que esse óleo chegue à praia. A limpeza nós vamos ajudar a fazer, já estamos ajudando, mas o nosso receio, a nossa grande preocupação, não é somente, ou, principalmente, com o óleo que chega na areia, esse é fácil de remover e dar um destino correto. O nosso receio é com o óleo que está ficando entranhado nas pedras do litoral, é com o óleo que está chegando nos manguezais, esse é muito difícil de retirar e vai matar todo o ecossistema, a diversidade que existe nesses locais”, pontuou o petista.

Na ação, protocolado no dia 15 de outubro, é solicitado à Justiça que determine, em decisão liminar, a adoção de medidas de contenção, recolhimento e destinação do material poluente, com “foco na proteção de áreas sensíveis do Estado da Bahia”, principalmente manguezais e estuários.