Show de Marília Mendonça em BH termina em arrastão

Foto: Divulgação

A cantora Marília Mendonça retomou após três meses o projeto “Todos os Cantos” nesta segunda-feira (7) com show na Praça da Estação, em Belo Horizonte. No entanto, a artista e os fãs foram surpreendidos com um arrastão.

Na apresentação surpresa e aberta ao público, Marília Mendonça gravou a música inédita “Graveto” para o projeto itinerante. A cantora sertaneja tem percorrido o Brasil com shows gratuitos que só são divulgados no dia do evento.

Vídeo que circula nas redes sociais mostra uma multidão em correria generalizada. O tumulto começou em frente ao palco, já no fim do show.  Segundo o jornal Estado de Minas, o local amanheceu e limpo e com poucos danos. Apenas algumas telas de proteção do jardim foram arrancadas e uma planta danificada.

Além do arrastão, a Polícia Militar registrou brigas e lesões corporais. Em entrevista ao G1, o major Flávio Santiago, porta-voz da PM, afirmou que 46 boletins de ocorrência foram registrados pela corporação durante o show e 14 pessoas foram presas, por arrastões e tráfico de drogas.

O evento havia sido autorizado e liberado pela polícia para um público de 15 mil pessoas. No entanto, estima-se que cerca 100 mil estiveram presentes.  O sistema preventivo instalado para o show estava de acordo com a legislação de prevenção contra incêndio e pânico, com as instruções técnicas do Corpo de Bombeiros e com o projeto técnico para eventos temporários.

 

Em nota, a equipe da artista lamentou o ocorrido:

“Sobre o ocorrido no último show da Marília Mendonça em Belo Horizonte/MG, seguem alguns esclarecimentos:

– O projeto “Todos Os Cantos” consiste em fazer surpresa aos fãs de uma determinada cidade. A cantora chega em um local previamente organizado pela produção e realiza um show gratuito.

– A surpresa é para o público. Todas as autoridades locais são previamente avisadas e as autorizações solicitadas aos órgãos de segurança local, que libera o alvará para a realização do evento.

– Em cada cidade é feita uma estimativa de público, que dependendo do local, pode ser maior ou menor. Em Belo Horizonte, além das equipes da Policia Militar e da Guarda Civil, a produção da cantora contratou um contingente de mais 100 seguranças privados, além de seguir todas as orientações das autoridades locais.

– Marília lamenta profundamente os fatos relatados e reforça que o projeto é uma maneira de retribuir ao seu público, através do show gratuito, o carinho que recebe dos fãs. A cantora lamenta ainda o fato de que infelizmente, esse tipo de situação tem se tornado rotineira em eventos, pagos ou não, que acumulam um grande número de pessoas no Brasil.”

CRUSH