Oposição pede apoio na luta contra corte de verbas do IFBA Camaçari que chega a 38%

Por Camila São José

Fotos: DICOM Câmara Municipal de Camaçari

Após visita da bancada de oposição ao campus do Instituto Federal da Bahia (IFBA) em Camaçari nesta segunda-feira (19), vereadores pediram o apoio e união de toda Câmara Municipal na luta contra o corte de verbas aos institutos e universidades federais anunciado em maio pelo Governo Bolsonaro.

Os vereadores Jackson Josué (PT), Teo Ribeiro (PT), Marcelino (PT) e Dentinho do Sindicato (PT) usaram a tribuna na sessão de hoje (20) para relatar a atual situação do IFBA Camaçari. “É um motivo de preocupação desse município e nesse sentido aí, não tem bandeira partidária”, pontou Jackson.

Segundo os petistas, a diretoria da unidade de ensino informou que o percentual da verba bloqueada em seu orçamento é de 38%. “O custeio do IFBA mensal é de 180 mil [reais]. Ela [a diretoria] conseguiu fazer uma redução e hoje há um gasto de 140 mil [reais], mas pasmem, ela só tem em caixa hoje 70 mil reais para até o final do ano. Se o governo federal não desbloquear já está comprometido as aulas, esses cursos desses alunos”, alertou o presidente do PT em Camaçari.

Os vereadores pontuaram que o IFBA possui  uma parceria com o governo municipal para alguns serviços de manutenção como a roçagem e a iluminação, no entanto, a diretoria afirma que o serviço não é feito desde janeiro deste ano. Um ofício já foi encaminhado para a Secretaria de Serviços Públicos (Sesp) solicitando a roçagem.

“A questão do IFBA é uma questão que está além das bandeiras políticas das cores vermelha e azul. A questão do IFBA é uma questão de sensibilidade”, defendeu Teo Ribeiro.

“Nós entramos em contato com deputados de nossa base, aonde tem um acordo dos deputados federais com o Governo Bolsonaro de que ele vai desbloquear o recurso da educação, mas nós precisamos estar juntos para salvarmos esse instrumento da educação tão importante para nossa cidade, para nosso estado e para o Brasil, independente de bandeira partidária”, frisou Dentinho do Sindicato.

O campus do IFBA no município foi inaugurado em 3 de outubro de 2007, com o início das aulas no dia 11 de fevereiro de 2008. Quatro anos depois, em 2011, o instituto passou a funcionar em sede própria, no Loteamento Espaço Alpha (BA-522), bairro do Jardim Limoeiro.  Hoje, o IFBA Camaçari dispõe de 13 salas de aula, 16 laboratórios, biblioteca, auditório com capacidade para 127 lugares, sala de videoconferência, refeitório, lanchonete, quadra poliesportiva e ginásio, além de 29 salas administrativas e do Módulo Vocacional Tecnológico (MVT).

Na cidade o instituto federal oferece em sua grade regular os cursos técnicos em eletrotécnica e informática, nas modalidades integrada e subsequente e o curso superior de Licenciatura em Matemática.

“Aqui todo mundo tem deputado federal, tem uma aliança com deputado federal, vamos fazer o esforço de conversar com esses deputados federais para tentar desbloquear esse dinheiro do IFBA. Você imagine que a possibilidade do IFBA de Camaçari fechar é real, isso vai bater muito na educação de Camaçari”, pediu Marcelino ao destacar que os recursos destinados à limpeza e segurança já estão comprometidos.

Conforme levantamento feito pela bancada de oposição, a folha de pagamento do campus com pessoal e vigilância é de R$ 60 mil. “O novo reitor já foi eleito e não foi nomeado até agora”, pontuou o líder da bancada petista na Casa.

CRUSH