Suspeito de envolvimento em triplo homicídio em Monte Gordo é preso

Gilmar Soares da Gama acusado de envolvimento em um triplo homicídio no dia 12 de julho, em Monte Gordo. Foto: Divulgação

 

Gilmar Soares da Gama, o “Patota”, de 30 anos, suspeito de envolvimento em um triplo homicídio no dia 12 de julho, em Monte Gordo, distrito de Camaçari, foi apresentado à imprensa, na manhã desta segunda-feira, (5), na sede da Polícia Civil, na Piedade, centro da capital baiana.

Ele foi preso na última sexta-feira, (2), e, segundo a Polícia Civil, o autor dos disparos que mataram Renilda Arcanjo de Jesus, Arielson Santos Leal e Ariel Leal da Silva, de 5 anos. As vítimas eram mãe, irmão e filho de Adrielson, alvo de Gilmar.

Ainda conforme a polícia, Anthony Adrian Santos Gomes e o policial militar da reserva Orlando Carvalho da Silva, que é pai de Gilmar, também participaram do crime e estão com as prisões decretadas.

De acordo com a delegada Aymara Bandeira Vaccani, titular da 33ª Delegacia Territorial (DT/Monte Gordo), o triplo homicídio foi motivado por vingança, pois em 2011 Adrielson, que na época tinha envolvimento com o tráfico de drogas, matou o irmão de Gilmar.

Adrielson recebeu uma ligação de Anthony solicitando que ele o encontrasse em Arembepe, com a proposta de retorno para o tráfico. Durante a ligação, Adrielson estava na companhia de Arielson, que se ofereceu para ir no lugar do irmão no encontro. Quando chegou ao local combinado, Anthony e Gilmar obrigaram Arielson a leva-los até a casa do irmão.

“Eles não encontraram o alvo e resolveram matar as pessoas que estavam na residência”, explicou a diretora do Departamento de Polícia Metropolitana (Depom), delegada Fernanda Porfírio, que também participou da coletiva.

Gilmar está à disposição da Justiça. Já Anthony e Orlando estão foragidos. O caso é investigado pela 33ª DT/Monte Gordo com auxílio da Depom.