Triagem do mutirão de catarata na sede Camaçari acontece neste sábado

Foto: Tiago Pacheco

O Mutirão de Cirurgias de Catarata acontecerá no dia 26 de julho em Camaçari e a triagem de pacientes na sede será neste sábado (20), em uma unidade da Clínica São Matheus, localizada na Avenida Deputado Luís Eduardo Magalhães.

A triagem já aconteceu na costa do município, na mesma clínica em Vila de Abrantes, nesta sexta-feira (19).

Para participar, é preciso ter idade acima de 55 anos, comparecer munidas de documento de identificação com foto, cópia do Cartão SUS e comprovante de residência. No último mutirão da especialidade, realizado em 2018, 180 pacientes foram beneficiados.

A expectativa  da Secretaria de Saúde (Sesau) é que 100 pacientes, das duas triagens, passem pelo procedimento.

Responsável pelo mutirão, Marluce Ribeiro, profissional da Clínica São Matheus pontua que “em julho a prefeitura disponibilizou um número maior de cirurgias para serem executadas com o propósito de atender eventuais demandas reprimidas, no entanto, todo mês o serviço é ofertado, beneficiando cerca de 20 pessoas”, declarou ao ressaltar que isso acontece desde 2017, quando foi firmada a parceria com a clínica.

A médica Amanda Araújo explica que nesse momento de triagem é feita uma avaliação oftalmológica completa. “Procuro saber as queixas principais, avaliar a acuidade visual do paciente com correção, verificar a pressão intraocular, fazer a análise de fundo de olho e por fim dilato a pupila para me certificar se o paciente tem catarata ou outra patologia”, explicou o passo a passo.

O diagnóstico

Para se certificar da saúde visual e se o paciente tem catarata é necessária a realização de importantes exames como:

Teste de acuidade visual: teste em que médico avalia quão bem o paciente consegue enxergar, em diferentes distâncias.

Exame de olho dilatado: neste exame, o médico pinga um colírio para que a pupila do olho seja dilatada. Uma vez dilatada, o profissional usa um equipamento com lentes especiais que o possibilita enxergar se há algum embaçamento no cristalino do paciente ou algum outro dano no olho. Após esse exame, o paciente pode ficar com a visão borrada por algumas horas, por isso, é recomendado que o paciente vá acompanhado e não dirija logo após o exame de olho dilatado.

Tonometria: permite que o médico use um instrumento para medir a pressão dentro do olho. O médico pode aplicar algum tipo de colírio com analgésico, para evitar o desconforto.