Bahia não sofreu gol atuando com esquema com três volantes

Ao lado de Elton, Gregore e Douglas Augusto foram a linha defensiva do meio-campo do Bahia (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

Uma derrota contra o Athletico-PR fora de casa foi a gota d’água para o esquema que Roger Machado adotou como seu desde que desembarcou em Salvador. O Bahia tinha as oitavas de final da Copa do Brasil contra o São Paulo para jogar e precisava de mais solidez defensiva para suportar o desafio.

Veio a mudança: no jogo teste, pela 5ª rodada do Brasileirão e contra o mesmo São Paulo que enfrentaria pela Copa do Brasil três dias depois, o Bahia estreou o tripé de meio campo formado por Gregore, Elton e Douglas Augusto. O jogo só acabou em 0x0 porque o time não aproveitou as oportunidades que teve no ataque, principalmente após ficar com um jogador a mais – Jonas Toró foi expulso no segundo tempo.

O placar vazio não se repetiu no mata-mata. O Bahia controlou os paulistas nas duas partidas e venceu ambas por 1×0, avançando de fase na competição de maior premiação do país. Ao todo, o campeão receberá R$ 70 milhões.

Contra o Grêmio, de novo pelo Brasileirão, mais uma vez o time venceu por 1×0. Além da magreza no placar, o que se repetiu foi que o tricolor não sofreu um gol sequer com os três volantes em campo. Dos últimos cinco jogos, apenas contra o Fluminense a defesa do Bahia foi vazada – em partida em que Ramires, mais ofensivo, entrou como titular no lugar de Elton. O jogo acabou 3×2 a favor do time baiano.

A tendência é que Roger repita o esquema para tentar seu primeiro triunfo fora de casa pelo Brasileiro. Antes da pausa para a Copa América, o Bahia tem pela frente Ceará e Internacional, ambos longe de Salvador. A primeira partida é sábado (8), às 19h30, no Castelão, em Fortaleza. A segunda é no dia 12, às 21h30, no Beira-Rio, em Porto Alegre.

Números da defesa

No Brasileirão, o time sofreu oito gols em cinco jogos no esquema com dois volantes: dois contra o Corinthians (3×2), três contra o Botafogo (2×3), nenhum contra o Avaí (1×0), um contra o Athletico-PR (0x1) e dois contra o Fluminense (3×2). Média de 1,6 gol por partida.
Após o sistema defensivo passar ileso nas partidas contra São Paulo e Grêmio, já com três volantes e vencidas pelo placar de 1×0, a média na Série A caiu para 1,14 gol por jogo.

O time de Roger Machado tem a 9ª defesa menos vazada. Por outro lado, marcou 10 gols e tem o sexto ataque mais positivo do nacional. São quatro gols a menos que o líder do ranking, o Palmeiras, que balançou as redes 14 vezes em seis jogos (não está computado o triunfo alviverde de 1×0 sobre o Botafogo, que foi suspenso pela CBF até o julgamento no STJD).

Somando toda a temporada, o Bahia marcou 63 gols e levou 28 nas 38 partidas que disputou neste ano. A média é de 1,65 gol marcado e 0,73 sofrido por partida.

Fonte: Correio 24h