Justiça nega liberdade provisória para padrasto de Eva Luana em primeira audiência

A primeira audiência do caso Eva Luana foi realizada durante todo o dia desta terça-feira (16). Segundo informações, foram nove horas de audiência com cerca de 14 testemunhas  ouvidas além de Eva, sua mãe e o padrasto Thiago Alves, a quem ela acusa de praticar tortura, violência doméstica e abuso sexual contra ela e sua mãe, por quase uma década.

Em fevereiro deste ano, Eva Luana utilizou uma rede social para tornar público todo o sofrimento e horror que viveu ao lado do padrasto, Thiago Alves, por quase uma década.

De acordo com o advogado de Eva, Helder Matos, maiores informações ainda nãopodem ser partilhadas com a imprensa devido ao segredo de justiça que embala o caso. No entanto, ele adiantou que o pedido de liberdade provisória, feito pela defesa de Thiago, foi negado e o mesmo permanecerá preso até a próxima audiência, com data ainda a ser definida.

Também sinalizando a restrição de informações devido aos segredos de justiça, Vitor Gomes, um dos advogados de Thiago, disse que “ainda existem partes para serem ouvidas e, somente após essa audição e mediante apresentação das alegações finais, certamente, o juiz proferirá a sentença”.

Redação Nossa Metrópole

Jorge