Caso Eva: pai de Thiago pede direito de resposta e apresenta questionamentos

Na manhã dessa terça-feira (19), o Sr. João Antônio Alves, de 60 anos, pai do ex-servidor público, Thiago Alves, acusado pela enteada, Eva Luana, de cometer uma infinidade de atrocidades contra ela, por quase uma década, procurou a nossa redação para falar sobre o caso.

Por telefone, o comerciante, que mora em São Paulo, contou que, apesar de não poder afirmar a inocência do filho, defende que o mesmo precisa ter o direito de resposta, e contar a sua versão dessa história que chocou o país nos últimos meses.

Além de marido, Thiago Alves é sobrinho da mãe de Eva Luana.

Ele revela que é irmão da mãe de Eva Luana e, por não concordar com o relacionamento entre tia e sobrinho, afastou-se da família. No entanto, nunca deixou de falar com o filho que, segundo ele, em todos esses anos, jamais demonstrou nenhum tipo de comportamento agressivo ou suspeito. Ele diz que ficou surpreso em saber dos acontecimentos somente pela mídia. Por isso, João Antônio acredita que ainda existem muitos “pontos soltos” nessa história e pede para que a sociedade evite a condenação prematura de seu filho. “Não consigo compreender como que, em tantos anos, minha própria irmã não tentou me avisar sobre o que estava acontecendo. Nunca recebi uma ligação delas reclamando de nada. Não posso afirmar que ele é inocente, mas não consigo acreditar em tudo isso que ela está dizendo. Essa história está muito mal contada. Tenho que defender o meu filho”, desabafa.

Caso repercutiu nacionalmente. (Foto: Reprodução)

Desde que foi preso, Thiago ainda não falou publicamente sobre o caso. Com alcance nacional, as publicações feitas por Eva em fevereiro deste ano, acusando o padrasto de abuso sexual, torturas e agressões, chocaram o país mobilizando a nação em seu favor. Artistas, influenciadores digitais, personalidades públicas e milhares de pessoas, deram início à #somostodosEva e uma onda de movimentos se espalhou, física e virtualmente, pedindo por justiça para a jovem.

Em poucas horas, Eva atingiu a marca de mais de um milhão de seguidores em seu perfil no Instagram, uma visibilidade que, para o tio da garota, soa como exagerada, insensível e, até mesmo, irresponsável. “O choro dela não prova nada. Quando a vejo sorrindo sinto como se estivesse caçoando da nossa desgraça, sem se preocupar com a dor que eu e a mãe dele estamos sentindo. Ela tinha uma vida normal, estudava, trabalhava, viajou para visitar o pai em São Paulo, chegou a passar dois meses na casa dos avós; o próprio Thiago viajava para nos visitar e passava dias e dias distante delas, então, como é que elas não conseguiram falar/pedir ajuda a alguém, ou mesmo fugir dele?”, questiona.

Tio de Eva questiona o fato de a irmã não ter lhe pedido ajuda enquanto sobrinho viajava para longe da esposa e enteada.

Demonstrando revolta com o posicionamento de Eva, seu tio ainda conta que, antes da prisão, recebeu uma ligação de Thiago, dizendo estar preocupado com o que estava por vir. “Ele me disse que Eva falou que iria acabar com a vida dele”, relata.

Pai e filho ainda não se encontraram depois da prisão. Três advogados estão trabalhando em defesa de Thiago que se encontra preso no Complexo Penitenciário de Mata Escura, em Salvador, e os detalhes deste caso continuam correndo em segredo de justiça.

Redação Nossa Metrópole