Campanha “Amor corre nas minhas veias”, bate recorde de doação diária para o banco de sangue do Hemoba de Camaçari

Com o objetivo de despertar a população camaçariense para a compreensão da importância de doações de sangue regulares, a ponto de se sentir estimulada em despertar com novos voluntários para uma causa tão importante, a Revista Nossa Metrópole realizou, na manhã desta quarta-feira (13), a campanha “Amor corre nas minhas veias”, levando doadores para ajudarem a abastecer o banco de sangue do Hemoba de Camaçari.

Foto: Renato Costa

Atendendo ao convite da Revista, cerca de 30 pessoas entre empresários, influenciadores, e pessoas comuns da sociedade civil, fizeram questão de marcar presença na ação e doar um pouco de “vida” para quem mais precisa. Para a empresária Luciana Santos, que já é uma doadora regular, doar sangue é, também, um ato de humanidade. “Me sinto mais humana. Hoje eu não estou precisando, mas amanhã pode ser a minha vez de ter que receber um pouco de sangue para sobreviver então, devemos fazer o bem sem olhar a quem”, disse.

Doador veterano, o empresário Fabio Barros faz questão de frisar que, muito mais que um ato de coragem, doar sangue é um ato de amor. “É se importar com o outro, de verdade. Em um mundo como o de hoje onde as pessoas vivem muito de discurso, ter a coragem de vir aqui e doar um pouco de vida para outras pessoas não tem preço, não tem valor, é uma sensação indescritível. Me sinto muito bem. É como se eu pudesse fazer muito mais pelo outro. As pessoas não precisam ter medo. É muito simples, muito tranquilo”, assegura.

Foto: Renato Costa

Para Ariane Santos, Assistente Social do Hemoba de Camaçari, a campanha foi de grande importância. “Foi uma ação maravilhosa. Nossa equipe sempre fica agradecida quando parceiros se propõem em nos ajudar! Além das bolsas de sangue também fizemos alguns cadastros para doação de Medula Óssea. Esses grupos são importantíssimos pra manter nosso estoque seguro”, agradeceu.

Antes da doação, todos os voluntários passaram por uma rigorosa triagem para verificar suas condições de saúde e a possibilidade de se tornar, ou não, um doador. Para quem não estava apto naquele momento, havia, também a possibilidade de se cadastrar como doador de medula óssea, assim como fez a estudante Thalia Santana, 20 anos. “Como tenho um problema de coração, não pude fazer a doação, mas, me cadastrei como doadora de medula óssea e me senti muito feliz em saber, que, de alguma maneira, posso ajudar a salvar uma vida”, disse.

Foto: Renato Costa

Felizes em poder contribuir para o abastecimento do banco de sangue do Hemoba de Camaçari, as responsáveis pela Revista Nossa Metrópole, Fabiana Monte e Marlene Ferreira, celebraram o resultado da ação. “Para nós, é uma satisfação imensa saber, que através desta campanha, contribuímos para conscientizar a população quanto à importância da doação de sangue. Uma sociedade consciente e unida por causas nobres como esta, pode fazer muito mais pela humanidade”.

Por Elba Coelho / Redação Nossa Metrópole