Fundo de Enfrentamento à Violência contra a Mulher ganhará nome de Eva Luana

A deputada estadual Fabíola Mansur (PSB) busca, junto ao governo do Estado, a aprovação para um Fundo Estadual de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres. A proposta, que já tramita na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), poderá ser batizada com o nome da camaçariense Eva Luana da Silva, vítima de uma série de violências e torturas executadas pelo seu padrasto por quase uma década.

Em visita à deputada, Eva aceitou o convite para batizar o projeto com seu nome uma vez que a iniciativa converge com seu pedido de apoio institucional à sua luta por justiça.

Se aprovado, o Fundo será um importante instrumento de luta para fortalecer a política estadual de enfrentamento à violência e o combate ao feminicídio.

Depois de contar publicamente o pesadelo que viveu nos últimos oito anos, a jovem estudante de direito, deseja que sua atitude sirva como símbolo de coragem e superação para outras mulheres que vivem situações semelhantes, centenas de milhares de mulheres que são violentadas, diariamente, no Brasil e no mundo.

De acordo com Fabíola Mansur, se aprovado pelo governador Rui Costa, o Fundo Eva Luana de Enfrentamento à Violência Contra as Mulheres, será um importante instrumento de luta para fortalecer a política estadual de enfrentamento à violência e o combate ao feminicídio. O fundo poderá receber dinheiro não apenas do orçamento estadual, mas, também, de doações privadas, convênios com organismos nacionais e internacionais, e seus rendimentos, serão destinados para investir em ações concretas, fortalecendo a rede de serviços para as mulheres, prestar assistência às vítimas, efetuar campanhas de prevenção e medidas pedagógicas, além de ações de apoio ao acolhimento a mulheres vítimas, como as casas de abrigo, novas delegacias especializadas, dentre outras coisas.
“A aprovação deste projeto pelo governador Rui Costa é fundamental para fortalecermos as políticas para as mulheres, para alcançarmos mais resultados nesse universo cruel do machismo e da violência, que atinge diariamente milhares de Evas Luanas. Somos solidárias à história de força e superação de Eva Luana, que nos comove, mas, também nos dá energia para seguirmos na luta por ela e outras garotas”, disse a deputada.

Redação Nossa Metrópole

Bibi Gourmet