Secretaria de Saúde alerta para necessidade de intensificar o combate ao mosquito Aedes Aegypti em Camaçari

A Secretaria de Saúde (Sesau) alerta para a necessidade de intensificar o combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya, em Camaçari. Neste sentido, Sesau informa que tem realizado diversos trabalhos de conscientização da população no intuito de evitar deixar água parada descoberta em suas casas e colaborar para o desenvolvimento de focos do mosquito na região.

Agentes de endemias realizam ações de intensificação e bloqueio na sede e orla da cidade. (Foto: Ascom/PMC)

No ano passado, 463.656 imóveis foram atendidos pelo órgão que encontrou focos do Aedes Aegypti e do Aedes Albopictus em 3.274 dos imóveis visitados na sede e na orla. Em 2019, na intensificação de combate ao vetor, até o momento, 4.366 imóveis já foram visitados, e 517 depósitos de ovos do mosquito já foram encontrados e tratados.

A Sesau ainda ressalta que além das ações de intensificação, o papel mais importante no combate ao mosquito continua sendo do cidadão, uma vez que mais de 99% dos focos do Aedes se encontram dentro das residências e imóveis comerciais, em locais com acúmulo de água como tanques descobertos, tonéis de água, pneus, garrafas plásticas, caqueiros de plantas ou brinquedos que acumulam água pelo quintal.

Redação Nossa Metrópole