Camaçari teme epidemia de Esporotricose

Em janeiro, a Secretaria de Saúde de Camaçari esclareceu algumas informações sobre a Esporotricose no município com o intuito de tranquilizar e orientar a população sobre a doença. Até o dia 23 daquele mês, 06 casos haviam sido notificados oficialmente, no entanto, moradores afirmam que os números de pessoas e animais infectados não para de crescer.

A Sesau informa que todas as pessoas diagnosticadas com a doença receberam o tratamento nas unidades de saúde do município e que qualquer pessoa que apresente lesão ou múltiplas lesões cutâneas, com histórico de contato com gato doente ou manipulação de matéria orgânica antes do aparecimento das lesões deve procurar a unidade de saúde mais próxima para diagnóstico e início do tratamento.

A Esporotricose é causada por fungos que podem ser encontrados na terra, farpas de madeira, matéria orgânica em decomposição, jardins, praças públicas, espinhos, na unha ou boca de felinos (gatos), dentre outras espécies. Por terem o tecido mais sensível, os gatos são as principais vítimas da doença que se manifesta como lesões ulceradas na cabeça, patas e cauda, podendo afetar o focinho, orelhas, lábios, mucosa ocular, regiões interdigitais, dentre outras.

Especialistas alertam que os gatos são vítimas e não causadores da doença, portanto, assim como os humanos, eles também necessitam do acompanhamento de um veterinário. Já os humanos devem ir em busca de um dermatologista, que pode encaminhá-los para um infectologista. A recomendação dos especialistas é que, quando a população encontrar um bicho ferido, avise à central de zoonoses – não toque no animal.

Redação Nossa Metrópole