Caetano nega derrota e fala sobre posicionamento do Supremo Tribunal Federal

No último sábado (02/02), estourou a notícia de que o deputado federal Luiz Caetano (PT) havia sofrido nova derrota junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) na tentativa de assumir o mandato junto com os demais parlamentares, em cerimônia realizada no dia 1º de fevereiro.

De acordo com a matéria, a petição da defesa do petista, protocolada em 29 de janeiro, para suspender a decisão que confirmou sua inelegibilidade no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), teria sido negada pelo ministro Dias Toffoli, presidente do STF, que decidiu por não atender ao pedido.

Por telefone, Caetano disse que a notícia não passa de uma interpretação maldosa e que continua em busca do seu direito de defesa. “A verdade é que Toffoli não acatou nem negou a liminar. O que ocorreu foi que, como era seu último dia de plantão, ele entendeu que meu caso não se tratava de uma urgência, portanto, encaminhou o processo para o ministro Gilmar Mendes, que é o relator do caso, fazer a devida análise de julgamento”.

Em suas redes sociais, o ex-prefeito de Camaçari, tem buscado não demonstrar nenhum tipo de abatimento e transmitir autoestima e carisma. Exemplo disso são as recentes publicações de sua participação na festa em homenagem a Yemanjá, em Arembepe, onde apareceu cercado de amigos e eleitores para fazer jus ao sentimento estampado em sua camisa “gratidão”.  Se mostrando otimista, ele compara a atual situação com uma decisiva partida de futebol. “Só acabou o primeiro tempo, ainda tem o segundo, e se não vencermos no segundo, ainda tem a prorrogação, e se não der certo na prorrogação, ainda vamos para os pênaltis”, finalizou.

Por Elba Coelho / Redação Nossa Metrópole