Sesau realiza teste rápido para identificar Hanseníase

A Secretaria de Saúde (Sesau), através do Grupo de Trabalho Contra Tuberculose e Hanseníase, iniciou na quinta-feira (31/1) uma ação de exames preventivos para eliminação da Hanseníase em Camaçari. Em trabalho conjunto com o Centro de Referência e Especialidades em Saúde (CRES), também acontece o teste rápido de sífilis e HIV.

Foto: Ascom/PMC

A primeira ação aconteceu no Centro Social Urbano (CSU), localizado no Gravatá, englobando as comunidades da Gleba A, Gravatá, Cristo Redentor, Mangueiral e Ficam. As próximas ações acontecerão nesta sexta-feira (1°/02) em Barra do Pojuca, na Missão Vida; na quarta-feira (06/2), na USF Parque Verde II; e na quinta-feira (07/2), na Associação de Moradores de Massaranduba.

Além do teste rápido e do exame de Hanseníase, a equipe de trabalho realiza a busca ativa na comunidade por pacientes que tiveram Hanseníase nos últimos cinco anos. “Esse trabalho de busca ativa é importantíssimo para acompanharmos como estão esses pacientes e se algum membro da família apresenta algum sintoma da doença e assim iniciar o tratamento imediatamente”, afirma Ana Iara, enfermeira sanitarista e coordenadora do Grupo de Trabalho contra Tuberculose e Hanseníase da Sesau.

A Hanseníase é uma doença infecto-contagiosa das mais antigas da humanidade, causada por uma bactéria, a Mycobacterium leprae (bacilo de Hansen), e se manifesta, principalmente, através de sinais e sintomas dermatoneurológicos: lesões na pele e nos nervos periféricos, principalmente nos olhos, mãos e pés. O diagnóstico é essencialmente clínico e epidemiológico e o tratamento custeado pelo SUS.

A infecção por hanseníase pode acometer pessoas de ambos os sexos e de qualquer idade. Entretanto, é necessário um longo período de exposição à bactéria, sendo que apenas uma pequena parcela da população infectada realmente adoece.

 

Sindicato_ford