Embasa_Verão

Cultura

qua , 31/01/2018 às 11:34

Harmonia e Léo Santana tocam de graça na quinta de Carnaval

Na Mídia

A uma semana do Carnaval 2018, a programação gratuita da festa teve mais novidades anunciadas nesta terça-feira (30). Harmonia do Samba e Léo Santana vão desfilar sem cordas na quinta-feira (8), no circuito Osmar (Campo Grande), que também terá, no mesmo dia, o grupo de pagode É o Tchan. Entre os grupos que também prometem atrair multidões nos demais dias no circuito estão Aviões do Forró (domingo), La Fúria e Trio das Mina, com Larissa Luz, Pitty e Karina Buhr (segunda), além de BaianaSystem e Àttooxxá (terça).

 

A programação do circuito Batatinha (Centro Histórico), que terá apoio do governo do estado, também foi anunciada: serão os 220 anos da Conjuração Baiana, conhecida ainda como Revolta dos Búzios ou Revolta dos Alfaiates. Ela vai basear a decoração das ruas do Pelourinho.

Nos dois maiores circuitos, os foliões também vão poder curtir artistas como Anitta, Bell Marques, Luiz Caldas e Baby do Brasil, sem pagar nada.

Ao todo, foram anunciadas 203 novas atrações, sendo 112 somente para o folião pipoca. Ainda haverá apoio para a realização de festas em mais 22 municípios.

 

Dodô
O destaque da quinta-feira, na Barra, será o ex-chicleteiro Bell Marques. Já a funkeira carioca Anitta será a grande atração do circuito na sexta, quando desfilam também nomes como Margareth Menezes e Luiz Caldas – o precursor da axé music toca ainda no sábado.

Neste dia, os destaques são Preta Gil, com seu Bloco da Preta, e BaianaSystem. No domingo, as principais atrações são Jau e o Trio Elétrico Armandinho, Dodô e Osmar, que também se apresenta na segunda e terça. Segunda tem Pablo do Arrocha e Baby do Brasil como principais shows na Barra-Ondina.

Pelourinho
O Carnaval no Centro Histórico, tradicionalmente organizado pelo governo, será animado por atrações contratadas através do edital Pelô e Pipoca. Foram 73 grupos selecionados para compor os cinco dias de programação. O palco principal da festa, no Largo do Pelourinho, será por mais um ano o cenário de encontros musicais diferentes.

A abertura do Carnaval do Pelourinho, na noite de sexta-feira, terá o comando de Lazzo Matumbi, que vai apresentar um repertório sobre liberdade, igualdade e resistência do povo negro.

Além disso, o governo completa dez anos da criação do Carnaval Ouro Negro, que apoiará, este ano, 91 agremiações carnavalescas de matrizes dos povos africanos e tradicionais, subdivididos nas categorias Afro, Afoxé, Samba, Reggae e Índio. Os blocos desfilam nos circuitos Batatinha (Pelourinho), Osmar e Dodô.

Entre os representantes da categoria afro, blocos de grande expressão popular como o Olodum e o Ilê Aiyê. Também participam blocos, como Cortejo Afro, Muzenza, Malê Debalê, Mangangá e Bankoma, e grupos a exemplo da banda Didá, Tambores e Cores, Swing do Pelô, Okanbi, entre diversos outros.

O segmento afoxé será representado por agremiações como os Filhos de Gandhy. Os blocos de samba também prometem fazer bonito na avenida, e na quinta-feira (dia 8) ocorre tradicionalmente o seu abre-alas. Entre os destaques desta primeira noite, o Alerta Geral.

Também haverá apoio para a festa nos bairros de Amaralina, Cajazeiras e Castelo Branco, além da Mudança do Garcia e do Palco do Rock, montado em Piatã.

 

Encontros e baile infantil
Entre os encontros que marcarão o Carnaval 2018 do Pelô, o cantor e compositor Mateus Aleluia, remanescente do grupo Os Tincoãs, se reúne com cantoras de outras duas gerações posteriores, a maranhense Rita Benneditto e a baiana Ana Mametto. Também se misturam na programação os artistas e bandas Afrocidade, Luedji Luna e Xênia França; Alexandre Leão, Moreno Veloso e Davi Moraes, e Riachão, Ana Paula Albuquerque e Paulinho Timor.

Além da programação no palco principal, não vão faltar opções nos largos Pedro Archanjo, Tereza Batista e Quincas Berro D’Água. Estilos atemporais do Carnaval da Bahia, como samba, afro, axé, guitarra baiana, antigos carnavais e bailes de orquestra terão espaço ao lado de ritmos como reggae, pop rock, hip hop e arrocha.

Para a criançada, as opções são os bailes infantis, que prometem animar as tardes dos pequenos foliões e suas famílias entre o sábado e a terça de folia.

De acordo com a Secretaria estadual do Turismo (Setur), a estimativa é que, este ano, o estado receba 2,1 milhões de turistas, no período da folia, gerando uma circulação de cerca de R$ 2,3 bilhões. Em Salvador, são esperados 650 mil visitantes, só para o período do Carnaval. Eles devem movimentar cerca de R$ 715 milhões em atividades relacionadas ao turismo e à festa.

Segurança
Este ano, 25 mil policiais e bombeiros militares vão cuidar da segurança nos sete dias de festa. Mais de R$ 44 milhões estão sendo investidos em pessoal, tecnologia e equipamentos, para que a folia seja de pura alegria e diversão. Entre as novidades este ano, segundo a Secretaria estadual de Comunicação (Secom), está a utilização de body worn, espécie de câmera acoplada à farda dos policiais, oferecendo maior fiscalização do que acontece dentro da festa.

Em Salvador, além de cuidar da segurança nos circuitos da folia, as polícias Civil, Militar, Técnica e o Corpo de Bombeiros também estarão presentes nos carnavais de bairro.

Os Portais de Abordagem, que há dois anos ajudam a restringir o acesso de objetos considerados de riscos aos circuitos, foram reestruturados. Este ano, 42 acessos oficiais, com controle rígido do que entra na festa, estarão disponíveis, com revistas pessoais e o auxílio de detectores de metais.

As cidades do interior que vão receber apoio para realizar suas festas são Alcobaça, Belmonte, Cairu, Camamu, Canavieiras, Caravelas, Correntina, Itabuna, Itacaré, Juazeiro, Lapão, Maragogipe, Mucuri, Muritiba, Palmeiras, Porto Seguro, Prado, Rio de Contas, Santa Maria da Vitória, São Félix do Coribe, São Sebastião do Passé e Vera Cruz.

Respeita as Mina
A Secretaria de Políticas para as Mulheres da Bahia (SPM-BA) lança, pelo segundo ano, a Campanha Respeita as Mina, no Carnaval de Salvador. O principal objetivo é mobilizar a população para o enfrentamento a violência contra as mulheres durante os dias de folia. A campanha visa contribuir também para a conscientização de homens e mulheres sobre uma das formas de violência mais frequentes durante a festa: o assédio.

A proposta, mais uma vez, é estimular o respeito, buscando incentivar um Carnaval sem violência de gênero e alertando: “respeita as mina!” As ações incluem sensibilização também com a apresentação, pelo segundo ano consecutivo, do Trio das Minas. Sucesso no Carnaval 2017, o Trio Respeita as Mina voltará ao circuito da folia levando animação e a mensagem da igualdade de gênero. Este ano, a baiana Pitty, vai puxar o trio elétrico, acompanhada das cantoras Larissa Luz e Karina Buhr.

Combate ao preconceito
Durante a festa, a Secretaria de Promoção da Igualdade Racial (Sepromi), atuará com serviço de enfrentamento ao racismo. Entre quinta (8) e terça (13), uma equipe do Centro de Referência de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa Nelson Mandela estará em funcionamento na sede do Procon (Rua Carlos Gomes, 746, centro), recepcionando denúncias e oferecendo orientação jurídica aos foliões, integrado a diversos órgãos e secretarias estaduais.

O atendimento no posto fixo acontece todos os dias, das 14 às 22 horas. Os carnavais de bairro e principais circuitos da festa também contarão com a Unidade Móvel do Centro de Referência Nelson Mandela. No equipamento serão oferecidas informações, atendimento preventivo e acolhimento de denúncias de violação de direitos nas esferas racial e religiosa. Outro canal de denúncia é a Ouvidoria Geral do Estado (OGE), através do telefone 0800 284 0011.

Combate à exploração infantil
No Carnaval 2018, mais uma vez, a Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) desenvolve um trabalho de proteção social e garantia de direitos, com diversas ações voltadas a públicos vulneráveis, com foco no combate à exploração sexual e trabalho infantil, violência LGBT, tráfico de pessoas e combate à violação dos direitos dos idosos e pessoas com deficiência.

A SJDHDS vai para o circuito da festa com a campanha “Fique de Olho”, composta por peças publicitárias que sensibilizam para a denúncia da exploração sexual e do trabalho infantil e demais violações por meio do Disque 100 – Direitos Humanos. Esse ano, a campanha tem como padrinho o cantor Carlinhos Brown.

Sobre a Conjuração Baiana
A Conjuração Baiana (também conhecida como Revolta dos Alfaiates ou Revolta dos Búzios) foi um dos movimentos mais importantes do Brasil buscava a independência de Portugal, liberdade dos escravos e a igualdade racial e social. O movimento eclodiu em 1798. A designação Revolta dos Búzios foi atribuída porque alguns revoltosos usavam um búzio (concha de molusco em forma de espiral) preso a uma pulseira, para facilitar a identificação entre si.

Os quatro líderes negros da revolta – João de Deus do Nascimento, Lucas Dantas de Amorim Torres, Manuel Faustino Santos Lira e Luís Gonzaga das Virgens e Veiga – foram mortos no dia 8 de novembro de 1799. Hoje, seus bustos se encontram, na Praça da Piedade, lugar onde foram enforcados e esquartejados. Em dezembro de 2015, o governador Rui Costa hasteou na praça uma bandeira em homenagem aos mártires da revolta.

Fonte: Correio

Para visualizar este conteúdo corretamente, é necessário ter o Flash Player instalado.

Para visualizar este conteúdo corretamente, é necessário ter o Flash Player instalado.

Mais Notícias

Mantenha-se Informado!

Deixe seus contato para receber nossas notícias